.: Vizinhança do Chaves :. DEFINITIVAMENTE CHESPIRITO. Chaves e Chapolin

O portal sobre Chespirito mais atualizado do Brasil

Papo Chavesmaníaco: Billy Drescher

papodois

Olá pessoal do blog Vizinhança do Chaves! Desculpem não ter postado o Papo na última semana, devido ao fim das férias acaba ficando mais corrido, mas na medida do possível estarei escrevendo para o blog, conforme ficou combinado com o meu amigo Victor. E, falando em Victor, o entrevistado de hoje é o submaster do blog fundado por ele, o grande Billy Drescher, que além disso ainda é moderador do Fórum Único Chespirito!

Will CH: Olá Billy Drescher! Seja bem-vindo ao Papo Chavesmaníaco! Para começar a entrevista, conte-nos um pouco sobre como conheceu o meio CH.

Billy Drescher: Obrigado, é um prazer ser entrevistado. Minha vida CH na internet começou entre 2007 e 2008, quando apenas fazia pesquisas para saber nomes de episódios, situação dos atores e outras curiosidades que sempre apareciam. Entrei firme em 2011, depois que o SBT finalmente liberou os perdidos e os mitos sobre eles perderam força. Comecei a participar do Fórum Chaves no final de 2011 e do Fórum Único Chespirito em 2012. Também no ano passado, passei a integrar a equipe do Vizinhança do Chaves, primeiro como colaborador de exibições na TV e, desde janeiro, como submaster do blog. Ainda em 2012, após uma escolha interna da moderação do FUCH, passei a ser um dos moderadores do fórum.

W: Você é atualmente submaster do blog Vizinhança do Chaves, como explicar o sucesso repentino do blog, se tornando um destaque do meio CH em pouco mais de um ano de existência?

BD: O meio CH estava precisando de novas informações rápidas e atualizadas, os sites CH praticamente tinham sido substituídos pelos fóruns, que passaram a concentrar as informações. A chegada de um blog que olhou para as séries de um modo diferente mexeu novamente com isso. O Vizinhança apenas entrou em um espaço que estava um pouco esquecido, isso nos fez crescer e aparecer. Atualmente, nós somos parceiros de mais de 30 sites, sobre CH ou não. Entre os parceiros, estão os dois fóruns CH, o Fórum Chaves e o Fórum Único Chespirito. Além disso, o nosso site tem voz nos dois fóruns, eu no FUCH o burro vem antes e o Victor no FCH.

W: Quais são as suas expectativas para a nova dublagem CH de inéditos no Brasil?

BD: Sinceramente espero que fique boa. Os últimos projetos de dublagem CH ficaram muito abaixo do esperado. Torço para que essa dublagem funcione e seja bem aceita pelo público.

W: Segundo o seu perfil no FCH, você é estudante de História na UFRJ, sob um viés universitário, qual a importância cultural de Chespirito no Brasil e no mundo?

BD: Chespirito conseguiu criar séries que refletem muitas realidades ao redor do mundo. Chaves, o trabalho mais importante e reconhecido por todos, mostra como um menino de rua e órfão, que poderia ter feito muita coisa de errado por estar nessa condição social, pode viver em companhia de outras pessoas, compartilhando seus desejos, sonhos e o pouco que tem.

W: O que prefere: Chaves, Chapolin ou Chespirito?

BD: Sempre preferi Chapolin.

Chapolin não fica preso em um único cenário, uma hora ele está no presente, outra no passado, contando alguma história. Ele se envolve nas mais diversas situações e sempre faz uma trapalhada. Depois que o SBT sumiu com o Chapolin, só voltei a acompanhar no Cartoon e na internet. Nesse meio tempo, passei a gostar mais de Chaves.

W: Uma cena que já te fez gargalhar:

BD: A aula magistral que o Seu Madruga dá em “O primeiro dia de aula – parte 2”, de 1975.

W: Em meios aos compromissos pessoais, ainda assiste CH com frequência? De que modo? (tv, internet, dvd…)

BD: Ainda assisto pelo YouTube quando quero me divertir um pouco. Estou parando de assistir pelo SBT, os cortes que são feitos chegam a tirar a graça dos episódios.

W: O conteúdo das séries de Roberto Bolaños, especialmente Chaves, tem como característica especial a proximidade dos personagens com figuras típicas do nosso cotidiano, talvez esse seja uma das “chaves” do sucesso de CH. Com qual personagem da vila do Chaves você se identifica mais? Por quê?

BD: Seu Madruga. Apesar de todas as adversidades, o homem nunca desiste. Faz de tudo para criar uma filha sozinho, aguenta os golpes da velha burrona Dona Florinda e sempre carrega um sorriso no rosto.

W: Ultimamente os atores CH e suas respectivas famílias têm se aproximado, e muito, dos fãs por meio de veículos como o Fórum Chaves e o Fã-Clube Chespirito Brasil. Na sua opinião, qual a importância disso?

BD: É legal termos esse contato com quem nos divertiu ao longos desses anos. Muitas curiosidades e lendas CH foram confirmadas ou desfeitas após esse contato mais próximo. A vinda de parte do elenco, apoiada por vários sites CH, também contribui para que a admiração sobre eles continue.

W: Para terminar, se um dia pudesse encontrar Chespirito pessoalmente, o que diria a ele?

BD: Sinceramente não sei. Provavelmente diria que ele conseguiu criar séries que foram capazes de conquistar nações e povos inteiros. Seria um grande prazer me encontrar o criador de uma das séries mais importantes que já assisti.

Obrigado pela entrevista, um abraço!
Boa sorte na retomada do Papo Chavesmaníaco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: